Será na tarde de hoje ( 20 ) , no STJD um caso em que envolve um problema que houve uma tentativa de agressão de uma facção que se declara ser " torcedores do River " contra um grupo de pessoas que foram ao estádio Alberto Siva , na capital mafrense , para incentivar o Fortaleza.

O episódio ocorreu no final da partida válida pelo Campeonato Brasileiro Série C , na fase de classificação pelo Grupo A.

Tanto o Fortaleza como o River, estão inclusos no Artigo 213, parágrafo II do CBJD  no qual se tange a deixar de tomar providências para conter violências. O artigo vale tanto para o time mandante quanto para visitante, no caso o Fortaleza Esporte Clube.

O presidente Jorge Mota , afirmou  que já providenciou advogado para fazer defesa para que o clube não venha perder mando de campo, com torcida presente, pois a pena varia de 100 a 100 mil reais e o número de jogos, de um ( 01 ) a 10. Isso comprometeria o jogo do Clube da Garotada irá fazer no dia 9 próximo contra o Juventude, partida que pode valer a volta do Tricolor de Aço para a Série B após 7 anos. O dirigente do Fortaleza se mostra bastante confiante , que o STJD inocente o clube destas denúncias , pois o presidente afirmou " Não houve nada demais , a não ser o fato de um tiro disparado por um PM. Não há tanto motivo para causar toda essas proporções feitas pelo (s) denunciante ( s ). vamos provar isso.".

Esse foi uma caso isolado , que ocorreu após o jogo River AC vs Fortaleza E C , quando um grupo de torcedores do clube da casa, se lançou para agredir os do tricolor que estavam no seu seto. Comentaristas de uma rede de TV , trataram do caso como se fosse uma briga generalizada, quando na verdade tratou-se de ato isolado que, como afirmou o presidente Jorge Mota, houve um disparo de arma, realizada por um PM para conter o avanço de pseudos torcedores do clube local. 

Este foi o terceiro confronto registrado somente este ano, em Teresina. No clássico entre Flamengo-PI e River-PI pelo Campeonato Piauiense, partida que terminou empatada em 0 a 0, no dia 18 de abril, torcedores dos dois clubes fizeram das arquibancadas uma praça de guerra ao arremessarem capacete e atirarem rojão no setor do placar. Um vídeo registrou a aflição de uma mulher tentando fugir da confusão.

 Em outra ocasião, após a derrota do River-PI por 2 a 1 para o Remo, na 3ª rodada da Série C, a PM-PI relatou que a torcida organizada Esporão do Galo teria feito uma "emboscada" para surpreender o grupo visitante do Pará na saída de Teresina. Os representantes da torcida negaram envolvimento no episódio, e um relatório foi encaminhado pela PM ao Ministério Público pedindo uma solução.

 

Por Ronald Pinheiro / Voz do Repórter 

 

 

 

 

Chat

Coloque o chat aqui.